domingo, 31 de julho de 2011

encontros felizes de julho

Em junho eu tive muitos encontros felizes, falei nesta postagem, lembram? É sempre bom ter amigos por perto, né não? E em julho teve mais!!! (^______________________^)

Com as meninas do balé, no dia da apresentação na academia
Piquenique com afilhado fofo e cunhados queridos no Parque Lage
Andanças culturais com duas curitibanas queridas. Aqui, no Real Gabinete Português de Leitura
Tarde delícia de meninas e menino

Sentiram o clima? Muito bom, né?!!!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

comunicação alternativa

A minha secretária-do-lar fala muuito, mas muuuuito mesmo! Eu sou megatagarela, então, imaginem como é quando eu falo que me canso de conversar com ela...  hehehe.
E, quando estou em casa no dia em que ela vem, procuro ficar na ala residencial mais longe possível dela, para que a comunicação não seja muito viável. A minha casa não é tão grande assim, então, volta-e-meia nos 'esbarramos' e ela me traz as notícias da família, amigos, da região e do mundo (eu chamo isso de "ana cláudia news"). Isso quando ela não 'se empolga' e encosta no batente da porta do ateliê enquanto eu costuro, na maior pose de comadre, uma piada!
Mas a melhor comunicação entre nós acontece via janela do banheiro. Sim, você leu direito, prezado leitor: ela fala sobre tudo e todos pela janela do banheiro. A janela do meu banheiro dá para a área de serviço e quando ela percebe que adentrei o recinto, não importa o objetivo, ela desata a falar sobre os mais variados assuntos. Às vezes, deixo de responder, mas ela não se faz de rogada: continua a falar e perguntar coisas até que eu responda. O pior é que a vizinhança toda escuta, já que o volume usado pela comunicação-via-janela-do-banheiro não é lá muito baixo.
E, para evitar tudo isso, entro no banheiro com a luz apagada, tentando fazer o mínimo de barulho possível  e saindo rápido antes que ela 'me pegue' lá... Poderia até chamar esta situação de única, mas não posso, pois ela é usada várias vezes ao dia...

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ganbarê*, Nova Friburgo!!

No último final de semana fomos eu, Marido e Tereza para Nova Friburgo fazer parte do Projeto Cidadania Móvel, do CESORJ. O CESORJ é um grupo interdisciplinar formado por gente de boa vontade, cuja sigla quer dizer: "Convergindo esforços, Superando obstáculos". Acho que já deu pra sentir a boa energia do grupo e não preciso explicar muito mais, né? Quem quiser mais informações sobre o grupo e como participar, só acessar o site www.cesorj.com.br, o twitter (@cesorj) e/ou o facebook! ;-)
Me perguntaram se foi tudo bem lá. Bem, não dá pra dizer que foi ótimo, afinal, é muito triste ver a terra arrasada, casas destruídas e a situação de caos total, mesmo depois de meio ano. Sim, apesar de ter passado seis meses, a coisa ainda está feia e pouco foi feito, pelo menos na área rural. Não quero discursar sobre o que poderia ter sido feito e o que se está fazendo, a mídia está se encarregando disso. Mas para quem quer saber como foi, vou contar a minha experiência.
A região que o nosso grupo era responsável foi uma das áreas mais atingidas e, por isso, não tivemos muitas famílias para cadastrar: muitas delas foram morar em outros lugares, pois a casa já não tem condições de moradia. E, por isso também, o cenário é de destruição, coisa de filme de ficção. Estradas super-improvisadas, rios novos correndo onde antes eram casas e/ou estradas, casas (ou restos delas) no meio de lagos de água-com-terra. 
video
(video de Cristiano Pavoski)
E, apesar disso, as pessoas nos receberam com um sorriso, oferecendo suco e biscoitos, na casa com piso de terra batida e com acesso por um pedaço de madeira sobre um rio novo. Agradeceram por estarmos lá, perguntando como eles estão e ouvindo o que eles têm a dizer.
Foi beeem cansativo, principalmente porque não tenho mais dezoito anos... O espírito é jovem e bem disposto, mas a carcaça já nem tanto... O pessoal continuou o trabalho no domingo, nós voltamos com alguns jipeiros no sábado. A Tereza se comportou bem, carregou muitos cobertores e mudou um pouco a sua roupagem: está marrom-terra! E nós voltamos com um convite para comer geléia de morangos caseira, assim que a plantação der frutos. :-)
Quando falei para  a minha mãe que fomos a Nova Friburgo, ela me disse:
-Harumi-chan (lê-se tián e é como os japoneses chamam suas crianças, de forma carinhosa), fico feliz que vocês fizeram parte disso. Sei que deve ter sido cansativo e triste, mas você deve pensar que é uma bênção ter este tipo de oportunidade. Não é só fazer algo pelos outros, mas a gente aprende muito com tudo isso!
O trabalho foi pesado, mas sentir que fazemos parte de algo maior é compensador e aquece o coração.
Seu Juarez (meu entrevistado), sinceramente, nós é que agradecemos!!

*GANBARÊ é japonês e não tem tradução direta, mas é algo como "vamos lá, amiguinhooooo!!!" "não desista, fooorça!!!"

segunda-feira, 18 de julho de 2011

irmãs

A gente nunca se achou muito parecida. Apesar da mesma origem genética, nem fisicamente e nem o jeito e o temperamento são parecidos. Inclusive, uma amigona nossa, de infância, que nos conhece desde sempre e sabe de coisas que nem a gente deve saber/lembrar, sempre fala que somos totalmente diferentes, nem parecemos irmãs. Claro que muita coisa é parecida, como o jeito de pensar, os valores e algumas opiniões, coisas comuns quando se cresce junto e se tem a  mesma educação.
Bem, e daí que em maio ela veio me visitar depois de um longo tempo (sobre a visita dela, escrevi aqui). E, depois de um dia juntas, tiramos esta foto e qual não foi a surpresa quando ela falou:
-Nossa, até que a gente é parecida, né? Olha aqui!
no Parque Lage, comendo gostosuras, sempre!
Claro que é, irmãzinha!!! A gente disfarça, tenta dizer que não é bem assim, mas uma hora a verdade-verdadeira aparece! (^_^)

terça-feira, 12 de julho de 2011

este ou aquele?

Volta-e-meia me perguntam qual a melhor cidade: Curitiba ou Rio. Qual é a mais bonita? Qual você prefere? Qual é melhor para viver? Qual? Qual? Qual?
Bem, senhoras e senhores, aqui vai a minha resposta:
Curitiba tem o inverno dos infernos, mas o Rio tem o verão dos infernos, não me adapto a nenhum mais...
O Rio tem paisagens de tirar o fôlego e Curitiba é uma cidade bonita e organizada. 
O Rio tem praias, Curitiba tem parques. 
Ambas têm botecos legais e que gosto de ir. 
A feijoada do Rio é a melhor do mundo e o churrasco de Curitiba é o melhor do mundo! 
Tomar um chope para se refrescar do calor carioca não tem preço. Comer fondue com vinho ou tomar uma sopa no friozinho de verdade também não.
Adoro o Rio, é a cidade que escolhi para morar. Adoro Curitiba, é a minha cidade natal. Ambas fazem parte do que eu sou agora e do que serei no futuro.
Bem, ninguém mandou perguntar para uma libriana!! ;-)

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Programa de Domingo

Ontem fomos à feira encontrar uns amigos para comer pastel. Na verdade, eu e maridôncio paramos na barraca de tapioca e já percebemos as lombrigas se agitarem. Foi o tempo de pedirmos para nossos amigos nos acharem. E veio a proposta: vamos comprar os ingredientes na feira e cozinhar o almoço lá em casa? Oras, vamos, ué!
E assim foi: nos esbaldamos nas barracas coloridas e fomos para casa. Eu e marido ajudamos a picar alguns legumes e os amigos mineiros prepararam o almoço. Sem palavras de tão gostoso!
arroz branco, tutu de feijão, ovo estrelado, fritada de vagem, couve refogada e frango cozido no molho de tomates
Este foi o nosso programinha de domingo. Muito bom!
(^_^)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

encontros felizes

É sempre bom ter amigos por perto, né? Eu não tenho do que reclamar, apesar de andar um pouco carente-choramingona nos últimos dias. E as últimas semanas foram marcadas por visitas e encontros tão gostosos, de amigos antigos (que me conhecem desde sempre e ainda falam comigo! *o* ) e de amigos novos. Muito bom tudo isso!!!
Tudo começou no final de maio, quando minha irmã veio com a sua pequena família inaugurar a temporada. E parece que o meu sobrinho gostou da casa da madrinha! E eu me esbaldei de apertar as bochechas daquele fofo e de curtir minha irmã e meu cunhado por perto.
as visitas e nóis no reflexo do espelho
Aproveitando que eles estavam aqui e que outro amigo-de-sempre estava na cidade, nos reunimos para comer uma pizza. A conversa foi tão boa que esquecemos de tirar foto... Uma pena...
Duas semanas depois, fomos nós à cidade fria de Curitiba, para o aniversário do afilhado japa. Foi ótimo encontrar todo mundo na festinha, mas confesso que o meu cérebro estava congelado (e olha que nem era inverno ainda) e era tanta gente, entre amigos e familiares que não via há tempos, que eu fiquei zonza e nem consegui conversar com o povo direito (desculpem a cabeça-de-melão aqui, povo!). Mas valeu por ver a carinha das pessoas e poder abraçá-las.
a madrinha e as bochechas
Na volta para casa, tive um almoço de aniversário de uma paulista-carioca. Na verdade, eu caí de paraquedas no almoço de aniver dela e foi ótimo! Adorei conhecer as meninas todas!
almoço de aniver
Eis que um casal de amigos estava na cidade maravilhosa fugindo do frio curitibano. Tirei uma tarde para passear com eles pelo centro, bem no estilo deste passeio aqui. São as vantagens de se ter um horário superflex! :-D
na Confeitaria Colombo
E a minha amiga-irmã tinha um compromisso por aqui e serviu de desculpa para eu grudar nela. Foi bem rapidinho (nunca temos tempo suficiente! hahaha), mas aproveitamos as 30 horas dela na cidade para tagarelar até a língua cair, inclusive sem nem desperdiçar as horas de sono. ;-p
fim de tarde com o Pão-de-Açúcar ao fundo
Enfim, chegou o final de junho e eu finalizei com chave-de-ouro: fui descansar o cabeção em Paraty. Ah, adoro a cidade! Tudo tão bonitinho!! 
ruelas e casas de Paraty
Mas é claro que depois de tantos encontros, nós não fomos sozinhos! Tivemos a companhia de amigos queridos! Caminhamos por pequenas trilhas, tomamos sol em praias lindas, vimos paisagens incríveis, molhamos a carcaça à procura de tartarugas e comemos muuuuuiiiito!!! E ainda tivemos a honra de comemorar o aniversário do nosso querido amigo! O abraço dado pessoalmente e o dia delícia não têm preço! \*Ü*/
pra variar, em uma mesa de comilança :-)
Ufa, e assim acaba o mês de junho. Uma correria boa!! E eu fico toda derretida com tantos encontros queridos, nem preciso dizer, né?
E aguardem, que julho está só começando e tem mais!!! Êba!